×

Prestes a voltar, Renê diz que físico não é problema: “Atinjo meu auge jogando”


 Prestes a voltar, Renê diz que físico não é problema: “Atinjo meu auge jogando”

O retorno de Renê Junior à equipe titular do Bahia é iminente. Fora de combate desde o dia 11 de setembro, após sofrer uma lesão na partida contra o Atlético-GO, o volante está recuperado, treinou entre os titulares e foi relacionado para a partida contra o Palmeiras, marcada para esta quinta-feira, às 21h (horário de Brasília), no estádio Pacaembu.

Só não dá para cravar que ele será titular porque o próprio treinador ainda não bateu o martelo. Em entrevista coletiva concedida na última terça-feira, Paulo Cézar Carpegiani confessou que a parte física de Renê o preocupa, afinal o atleta ficou cerca de 20 dias parado.

No que depender de Renê Junior, entretanto, sua condição física não será problema. À reportagem do GloboEsporte.com, ele declarou que atinge o seu “auge jogando”.

- Ele conversou comigo sobre a parte física, mas não acredito que isso será um grande problema. Sou um atleta que atinjo meu auge jogando, entrando em campo, e dessa vez não será diferente. Fiquei um pouco mais de 20 dias parado por causa dessa lesão e, claro, perde-se um pouco do que estava acostumado a jogar. Sou um jogador de força, e o físico é muito importante na função que desempenho dentro de campo. Como a lesão não foi tão grave, acredito que, com duas ou três partidas, eu já esteja novamente atuando no meu máximo e ajudando o Bahia da melhor forma para somar pontos no Brasileiro – afirmou o volante.

Pode ser que Renê Junior retorne ao time atuando de outra forma. Nos treinos, Carpegiani o testou jogando na segunda linha de quatro de um 4-1-4-1. O homem entre as linhas, aquele volante responsável pelo combate mais forte ao adversário, foi Juninho.

O volante tricolor se mostrou tranquilo com a possibilidade de exercer outra função em campo e disse que está à disposição para ajudar da maneira que forEle trabalhou algumas variações durante a semana, está estudando as diferentes opções que pode encaixar para o time que ele considera ideal e com certeza está trabalhando no que acredita ser a melhor formação para o nosso time. Sempre deixei claro que estou aqui no Bahia para ajudar o clube como for necessário e, caso o professor precise que eu atue mais recuado, estarei pronto para jogar e buscar o triunfo junto com meus companheiros. O Carpegiani é um treinador experiente, campeão, e tenho certeza que saberá utilizar o melhor esquema para conseguirmos um triunfo diante do Palmeiras. Cada jogo é uma situação, um esquema que encaixa melhor para o adversário e temos que jogar com sabedoria para somar pontos fora de casa – destacou.

Renê Junior é um dos destaques do Bahia na temporada (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia) Renê Junior é um dos destaques do Bahia na temporada (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Renê Junior é um dos destaques do Bahia na temporada (Foto: Felipe Oliveira / Divulgação / E.C. Bahia)

Renê precisou assistir de casa à derrota para o Cruzeiro, ao triunfo sobre o Grêmio e empate com o Coritiba. Desempenho que não colocou o Bahia na zona do rebaixamento, porém bem próximo dela: a equipe ocupa a 13ª posição, com 31 pontos, apenas um a mais que o Sport, clube que abre o Z-4.

O volante falou sobre a frustração de ficar fora da equipe nesse momento tão importante do Campeonato Brasileiro.

- É ruim ficar fora do time, ainda mais por causa da lesão. Podem achar que foi uma lesão pequena, simples, mas os que convivem comigo sabem a gravidade que foi e como minha perna ficou após o choque. Nos primeiros dias da lesão, eu sentia muita dificuldade para dobrar a perna e andava com muita dificuldade. Graças ao excelente trabalho dos fisioterapeutas aqui do clube, consegui passar por esse momento ruim, e me deixaram pronto para fazer o que mais gosto: jogar futebol. Infelizmente, essa rotina de mudança de comando no futebol brasileiro é algo que ainda acontece muito. É uma situação chata, mas que temos que encarar da melhor forma possível. Sofremos com a saída do Jorginho e do Preto, mas sabemos que futebol é resultado e não estávamos conseguindo alcançar nossos objetivos. Fico feliz de poder voltar ao time, sei da minha importância dentro do grupo e espero poder manter o alto nível que eu estava desempenhando antes da lesão - disse.

 

Por falar em troca de comando, Renê Junior contou como o elenco recebeu a saída de Preto Casagrande do comando tricolor.

- O Preto é um cara que a gente gosta muito. É um profissional que trabalha há bastante tempo aqui no clube, e sabemos que futebol é resultado. Ficamos tristes com a saída dele como ficamos com a saída do Jorginho e também do Guto. A gente sabe que deixamos a desejar em algumas partidas e não podemos oscilar nessa reta final de campeonato como fizemos anteriormente. Tenho certeza que o professor Carpegiani vai nos ajudar com sua experiência para sairmos daquela zona da parte de baixo da tabela e buscaremos voos mais altos no Campeonato Brasileiro – finalizou Renê.

Autor: ,postado em 01/10/2017


Comentários

Não há comentários para essa noticia

Mande uma Resposta